Pages

Diálogo inter-religioso: Ameaça de bomba a Igreja Católica na Indonésia

Qualquer que seja o objeto suspeito que a polícia detonou, este foi um ato de intimidação, destinado a 'intimidar os incrédulos' (Alcorão 8:60) em um país onde os ataques contra as igrejas são uma possibilidade muito real e imediata. Basta perguntar ao povo de Temanggung. Oeste de Bornéu: ameaças de bomba a uma igreja, os católicos na mira de terroristas ", de Mathias Hariyadi para a Ásia News, 22 de junho:

Jacarta (AsiaNews) - A Igreja Católica Stella Maris em Siantan Hulu, um vilarejo ao norte da cidade de Pontianak, a capital do oeste do Bornéu, está na mira de terroristas. Na noite de 20 de junho um telefonema anônimo anunciou um ataque a bomba iminente. Uma voz de mulher, na verdade, alertou para uma bomba plantada próxima ao prédio. O sacerdote, avisado por um fiel, chamou o esquadrão anti-bombas que explodiu um objeto escondido no lixo. Já se passou algum tempo desde os ataques contra a minoria Cristã, embora no passado tenha havido incidentes de violência sectária.
Entrevistado por AsiaNews, Severiano Endy, um jornalista em Pontianak, relata que o primeiro telefonema foi dirigido a um homem chamado Beno, um farmacêutico católico da vila. Ele imediatamente alertou o sacerdote de Stella Maris, Fr. Sony Wengkang, que, em seguida, contatou a polícia. "A ameaça veio - disse o frade - da voz uma mulher não identificada, chamando de um telefone celular. O número não foi escondido".
Um esquadrão antibomba interveio imediatamente para verificar a gravidade da ameaça. Remexendo no lixo, os peritos encontraram um objeto suspeito dentro de uma lata de lixo e eles detonaram. Dirigindo-se à multidão de fiéis, o sacerdote disse que a comunidade deve ser notificada em caso de ameaças concretas. Ao mesmo tempo ele tentou acalmar as tensões, chamando os Católicos para a harmonia e calmaria social. Enquanto isso, a polícia iniciou uma investigação para rastrear os responsáveis.
No passado, Pontianak, foi palco de violência sectária. A área é habitada principalmente por Indonésios de ascendência Chinesa e os nativos do grupo étnico local Dayak, Católicos. Em 1999, eles estavam envolvidos em confrontos violentos com migrantes maduranesi, da ilha de Madura, em Java Oriental, e de maioria Muçulmana.
Anteriormente, outros incidentes de conflitos sectários haviam ocorrido em 1997 e 1996. Somente a intervenção do exército Indonésio garantido o retorno da calma e da ordem.

2 comentários:

  1. Maometanos: "Vocês pertencem ao pai de vocês, o Diabo, e querem realizar o desejo dele. Ele foi homicida desde o princípio e não se apegou à verdade, pois não há verdade nele" (Jo. 8,44).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como é que alguém que crê em Deus e que pratica o cristianismo pode falar uma coisa tão absurda dessas! Não julgue ninguém, cabe a Deus o julgamaneto. Não me venha com esse discurso falso colocando o nome da Bíblia, lembre-se da Santa Inquisção! Não pregue a maldade em nome de DEUS!

      Excluir