Pages

Curdos consideram banir a mutilação genital feminina

"A Human Rights Watch (HRW) divulgou um relatório no ano passado que revelou que existem pelo menos quatro fatores que impulsionam a mutilação genital feminina: Uma ligação com a identidade Curda, um imperativo religioso, a pressão social e uma tentativa de controlar a sexualidade das mulheres".

Sobre o imperativo religioso para a mutilação genital feminina, particularmente para os países Islâmicos fora da África, como o Iêmen, áreas Curdas e na Indonésia, há uma correlação notável com a prevalência da escola Shafi'i de jurisprudência Islâmica. Na tradição islâmica legal, a circuncisão feminina é obrigatória. Assim, para os apologistas e os reformadores, é muito mais difícil pôr essa prática de lado como meramente "cultural", ou "tribal", e, para os reformadores sinceros, será muito mais difícil de se abolir.

"Projeto de lei para se banir a mutilação no parlamento", da AKNews, 19 de junho:

Erbil, 19 de junho (AKnews) - O parlamento do Curdistão vai discutir um projeto de lei sobre violência doméstica amanhã, que propõe a criminalização da circuncisão feminina.


A tendência é mais difundida no Curdistão do que nos países vizinhos, apesar das campanhas de sensibilização realizadas por organizações da sociedade civil e da mídia.


É praticado principalmente nas áreas rurais. Um estudo alemão-iraquiano realizado em 2007/08 mostrou que mais de 77% dos entrevistados do sexo feminino com 14 anos e mais na província Curda de Sulaimaniya haviam sido submetidos ao procedimento.


A prática é muitas vezes realizada em casa e por pessoas sem formação médica. Quando não for feito corretamente nas meninas, que muitas vezes são tão jovens quanto dez anos, pode causar danos permanentes e em casos extremos morrer devido à perda de sangue ou infecção.

Nunca foi, não é agora e nunca será feito "corretamente". A foto profundamente perturbadora que acompanha essa história no link acima deve tornar isso bem claro.

A Human Rights Watch (HRW) divulgou um relatório no ano passado que revelou que existem pelo menos quatro fatores que impulsionam a mutilação genital feminina: Uma ligação com a identidade Curda, um imperativo religioso, a pressão social e uma tentativa de controlar a sexualidade das mulheres.


"É hora de o governo regional avançar e tomar medidas concretas para eliminar essa prática nociva, porque simplesmente não vai embora por conta própria", disse Nadya Khalife, pesquisadora da Human Rights Watch no Oriente Médio dos direitos das mulheres.


Estima-se que mais de 130 milhões de mulheres no mundo sofreram mutilação genital feminina (MGF), principalmente na África sub-saariana, oeste e sul da Ásia e partes do Oriente Médio.
Não está claro como uma lei, buscando impedir uma prática que não é realizada nos meios oficiais, seria aplicada.


O ministro da saúde do Curdistão, Taher Hawrami, disse que as autoridades estão distribuindo cartazes para promover a conscientização, mas ele disse que os líderes religiosos devem fazer mais para acabar com a prática.


"Os clérigos devem assumir o papel principal. As pessoas precisam ter uma melhor compreensão da religião a fim de abandonar esse fenômeno".


O projeto também visa a reduzir a agressão de pais aos filhos e os casamentos forçados.



6 comentários:

  1. A pratica realmente é horrível.
    Mas o pior de tudo é que quem mais as defende são as mulheres locais.
    Elas querem que suas filhas sejam circuncisadas, purificadas, assim como foram na propria adolescencia. Para que a índole delas não seja questionada. (do mesmo jeito que as mães aqui não querem que a filha seja conhecida como puta então ensinam-a como se vestir e se comportar como uma donzela)

    Proibir não adianta. Apenas piora a situação pras meninas. Afinal essa mutilação nos países mais rurais é feito em casa e com consentimento da família, logo ninguém vai denunciar, as condições permanecem precárias com o diferencial de que se quiserem levar a criança a um hospital pra conter hemorragia ou algo assim, não terão essa opção sem serem descobertos.

    Mas ao menos ja começaram o trabalho de conscientização. Educação é sempre a melhor arma....agora só precisamos saber o quanto dessa conscientização é feita com vontade de acabar com a prática mesmo e quanto é apenas pra agradar outros países e os Direitos Humanos.

    ResponderExcluir
  2. Seu blog é muito legal e muito bem feito também!
    Vale a pena conhecer o REDBUS http://redbus.freevar.com - o mais novo agregador de conteúdo da internet onde o cadastro não é necessário e os links não passam pela aprovação do editor e vão direto para a página inicial.
    Acesse o REDBUS pelo endereço http://redbus.freevar.com – Só precisa cadastrar o título e o link do conteúdo. Todos os blogueiros estão acessando inclusive eu. Rsrsrs.

    ResponderExcluir
  3. Achei esse blog através de um link do ocioso, tenho um blog sobre o assunto e gostaria de convidá-lo a acessar e se gostar adicionar a sua lista, já que tratamos do mesmo assunto. Meu blog é: http://olhonajihad.blogspot.com

    Já irei colocar o seu nos web links

    ResponderExcluir
  4. Eu sei que faz parte da cultura deles,mas é repugnante!

    ResponderExcluir
  5. Circuncisão: barbárie contra quem não pode se defender.

    ResponderExcluir
  6. O PT ESTÁ ISLAMIZANDO O BRASIL!!!
    http://cinenegocioseimoveis.blogspot.com.br/2013/01/o-pt-esta-islamizando-o-brasil-o-mal.html

    ResponderExcluir