Pages

Cinco Cristãos são mortos em ataque de extremistas Islâmicos na Nigéria


ADUWAN, Nigéria - Crianças cristãs fugindo de atiradores salvaram suas vidas se escondendo entre formações rochosas que se erguem na área norte da vida, mas um bebê de 6 meses e uma menina de 13 anos não tiveram qualquer chance.

Happiness Adamu, de 13 anos, morta no ataque
O bebê, Alexander Blessed, e a menina, Happiness Adamu (foto), foram os mais novos de cinco pessoas de cinco igrejas que foram assassinados. Os Cristãos estavam reunidos em uma casa onde ocorria o funeral de um líder da vila estava ocorrendo, numa área predominantemente Muçulmana, no estado de Kaduna, quando se aproveitando da escuridão da noite de sábado (23 de fevereiro), furtivamente, homens vestidos de preto chegaram e começaram a atirar.

Onze cristãos foram hospitalizados, incluindo Martha Blessed, que foi baleada tentando proteger seu filho. As balas quebraram as pernas de outra menina de 13 anos, Gloria Livinus, da Igreja Católica de São Patrício, em Aduwan.

O ataque foi chocante, já que foi numa área em que os Cristãos viviam sem inimizade com ninguém, disse, John Audi, de 45 anos e neto do líder velado e membro da Igreja de São Patrício."Cada um fugiu para um lado e alguns que foram baleados estavam chorando", disse ele à Morning Star News. "Nós corremos pra nos proteger onde achamos que poderíamos escapar das balas".

Testemunhas disseram que os atiradores falavam em dialeto Fulani, mas os líderes das igrejas disseram que a área estava livre de conflitos de terra que marcaram as relações entre Muçulmanos, Fulanis étnicos e tribos predominantemente Cristãs. Grupos extremistas islâmicos têm feito um incentivo crescente para que os Muçulmanos Fulani ataquem áreas Cristãs, e testemunhas disseram que os agressores portavam armas sofisticadas.

Líderes de igrejas da área questionaram como o tiroteio pode ter durado por três horas sem que as autoridades pudessem intervir, já que a área é coberta por forças militares que combatem o terrorismo.
"Essa vila foi atacada por três horas, e nenhuma ajuda veio ao nosso povo", disse o Reverendo Danlami Bello, bispo da Primeira Igreja Afriaca, Diocese de Kafanchan, cuja sede está em Aduwan. "Esses ataques não foram impedidos, nenhuma agência de segurança veio à cena para ajudar as vítimas Cristãs".

Tal como outros, ele acredita que houve um forte elemento religioso no ataque.

"Não há dúvida de que esse ataque, tal como muitos outros a comunidades Cristãs no norte da Nigéria, tem raízes religiosas", disse ele. "Há esse desejo dos líderes Muçulmanos da Nigéria em Islamizar o país à força; então os ataques procuram forçar os Cristãos a se submeterem ao Islam".

O Rev. Casmir Yabo, vigário da Primeira Igreja Africana em Aduwan, disso ao Morning Star News que os membros da igreja que se esconderam em sítios a oeste da vila disseram ter visto cerca de 10 atiradores saindo após o ataque".

"Cremos que os agressores são Muçulmanos Fulani que invadiram e atacaram essa vila. Eu chorei ao ver os corpos de cinco pessoas mortas sem razão justificável", disse Yabo. "O impacto que o ataque causou é que, no momento, nossos membros estão com medo de vir às igrejas para participarem dos cultos".
O ataque aconteceu dois dias após uma chacina similar, onde 10 pessoas foram mortas em uma vila próxima a Jos, no estado de Plateau.

Além dos ataques de Muçulmanos Fulani, os Cristãos da Nigéria também têm sido vítima do grupo extremista Islâmico Boko, que se esforça para desestabilizar o governo e impõr a Sharia (lei Islâmica) sobre toda a nação. Os Cristãos são 51,3% da população da Nigéria e vivem principalmetne no sul, enquanto os Muçulmanos são 45% e vivem principalmente no norte. Os nigerianos que praticam religiões indígenas são cerca de 10% da população, segundo a Operation World.
Fonte


Por favor, se gostou, clique no botão +1:

Um comentário:

  1. Acho de uma grande hipocrisia a inclusão da foto da moça, com o comentário cínico:"contribuição do Islã" para a paz mundial.A moça na foto é uma palestiniana que mais não faz do que defender-se a ela e ao seu povo das agressões e dos crimes sionistas de que é alvo.Vocês os cristãos sionistas além de cínicos são hipócritas.Nem sequer reconhecem às vítimas o direito de se defender do carrasco.

    ResponderExcluir